A ALDEIA DE MÓS

(Fotos: Valter Cavaleiro)

A aldeia de Mós pertence ao concelho de Bragança, na Terra Fria, Trás-os-Montes. 

Sob o olhar da Serra da Nogueira e das aldeias vizinhas (Paçó, Paçó de Sortes, Valverde e Pinela), ali a vida acontece sem pressa. Estamos a apenas 1o km da cidade de Bragança mas reina a proximidade com a Natureza.

Os soutos com castanheiros centenários, o som e as cores da biodiversidade, o património construído fazem lembrar com nostalgia tempos passados em que aldeia fervilhava de vida. Hoje, à custa do despovoamento (característico de outras aldeias transmontanas) contamos pouco mais de 30 moradores permanentes.

Mas é a percorrer a aldeia e o seu entorno que apetece ficar e, de olhos fechados, sentir...

Quando Visitar Mós?

É uma boa experiência visitar a Aldeia de Mós em qualquer altura do ano, mas é na Primavera (entre Abril e Junho) e no Outono (entre Setembro e Novembro) em que as temperaturas são mais amenas, que tudo mais tem realce e beleza. Já que no Inverno é usual haver temperaturas negativas e no Verão, muitas vezes, ultrapassam os 40ºC.

Na Primavera os cerdeiros (cerejeiras) estão floridos, proporcionando uma paisagem única da região transmontana. Se regressar em maio há cerejas em abundância.

No Outono, são as cores dos carvalhos, dos castanheiros, dos sobreiros, entre outros que proporcionam ao visitante uma mistura de cores exuberantes. A apanha da castanha é uma atividade que predomina nesta altura. É também a época dos cogumelos, que assumem uma importância gastronómica crescente e que podem, por vezes, ser degustados nos restaurantes da região.


Natureza

(Fotos: Valter Cavaleiro) 

Ao percorrer a aldeia e o seu entorno abre-se uma porta à biodiversidade. Aqui apetece demorar e apreciar cada pormenor que nos vai aparecendo à frente e que nos leva a fotografar para podermos mais tarde recordar. A riqueza de fauna e flora entra-nos pelos olhos, da aldeia até à ribeira. A paisagem é heterogénea mas predominam os soutos e os carvalhais. Os castanheiros centenários ladeiam os trilhos que percorremos e, torcidos pelo tempo, mostram-se imponentes. A paisagem muda com as estações e a beleza que vemos no verão continua até ao inverno.


Património Construído

(Fotos: Valter Cavaleiro)

Visitando a aldeia a pé podemos encontrar um vasto património construído, muito dele restaurado e que dá a Mós uma identidade própria. É notório o cuidado tido com a preservação do património. Assim, algumas edificações estão preservadas (ou restauradas) como o Museu Rural, a Forja Comunitária, o Lavadouro, a Fonte de Mergulho, a Igreja, vários Pombais, a antiga Escola Primária. Realizando o Percurso Interpretativo de Mós, podemos observar toda a biodiversidade, passar pela ribeira do Penacal e visitar o antigo Moínho comunitário (agora desativado) onde se moía o trigo e o centeio no inverno e visitar alguns pontos da aldeia que a tornam tão especial.